Zika Vírus em Porto Velho, Sesau e Agevisa alerta para surto.

Odair Araujo | segunda-feira, dezembro 14, 2015 | 0 comentários


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau/RO) em conjunto com a Agência de Vigilância em Saúde (AGEVISA) emitiram na última semana uma Nota Técnica dirigida às Secretarias Municipais de Saúde com orientações e medidas de prevenção do Zika vírus. 


No documento enviado para as Secretarias Municipais a SESAU informa que o Estado de Rondônia preocupado com a situação emite a nota técnica, com o objetivo de divulgar o conhecimento sobre a doença, e fortalecer as medidas de controle e prevenção que deverão ser adotados. 

Os municípios rondonienses foram alertados do avanço dos casos de surto de infecção pelo Zika vírus, identificado no Brasil pela primeira vez. O documento em forma de alerta informa que, não há casos autóctone (de origem local) confirmados de febre Zika vírus no estado de Rondônia “havendo a confirmação de um caso importado”. No entanto, “em face da existência do vetor na maioria dos municípios há risco da entrada da doença nesse território”. 

Caso importado em Porto Velho

O caso de doente com Zika vírus a que a nota se refere, é de um paciente de Porto Velho que viajou recentemente para um estado do Nordeste, onde existe a maior incidência da doença associada com microcefalia, e pode causar complicações neurológicas como a síndrome de Guillain-Barré em locais com circulação simultânea do vírus da dengue. O alerta emitido pela SESAU e AGEVISA não revela quantos casos suspeitos sendo investigados existem em Porto Velho. 

O Zika vírus (ZIKV) é um vírus da família Flaviviridae, o mesmo da dengue e da febre amarela, responsável por uma doença chamada Febre Zika, que apresenta sinais e sintomas similares ao da dengue, porém mais brandos. A doença é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. A doença evolui em 3 a 7 dias e os sintomas são de febre baixa, dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações, conjuntivite, dor nos olhos, fotofobia, coceira na pele e rash (erupções avermelhadas na pele), e pode haver sintomas de dor abdominal, diarreia, prisão de ventre, aftas, tontura ou perda de apetite.

A Nota Técnica é assinada pelo Secretário de Estado da Saúde Williames Pimentel de Oliveira, a diretora geral da AGEVISA Maria Arlete da Gama Baldez e Delcy Mazzarelo Cavalcante da Costa, gerente de Programas Estratégicos de Saúde/Atenção Básica.

Fonte: Edmilson Rodrigues


COMPARTILHE O VILHENA-HOJE 

Category:

0 comentários

CADA PESSOA SE RESPONSABILIZA PELO QUE FALA.