Funcionário da Fhemeron é morto em frente ao local de trabalho enquanto conversa com ex-amásia.

Odair Araujo | terça-feira, dezembro 15, 2015 | 0 comentários

O crime aconteceu por volta das 22h30, desta segunda-feira (14), na antiga Rua Clóvis Arrais (antiga Rua Vilagran Cabrita), em frente ao Fhemeron, no 1º Distrito de Ji-Paraná. Segundo testemunhas, o técnico de laboratório Nilson Jacob de Souza, de 58 anos, estava conversando com sua ex-amásia na frente da Clínica quando um homem, trajando calça jeans e camiseta vermelha, se aproximou e conversaram por aproximadamente dois minutos. Em seguida, o homem sacou uma pistola e efetuou quatro disparos, acertando dois na vítima.
Após o crime, o atirador fugiu do local em uma motocicleta Honda Fan, de cor vermelha.
As Guarnições de Rádio Patrulha e um Unidade do Corpo de Bombeiros rapidamente chegaram no local e conduziram a vítima ao HM, mas devido à gravidade dos ferimentos, não resistiu e morreu na sala do pronto atendimento.
REVELAÇÕES
Ainda no local, as Guarnições de Rádio Patrulha, juntamente com o Supervisor de Dia, SGT PM João Flor, começaram a colher informações sobre o caso e acabaram desconfiando da mulher, pois sempre entrava em contradições, contando histórias diferentes.
Uma câmera de segurança de um estabelecimento comercial próximo ao local do homicídio filmou o atirador se aproximando do casal e depois de três minutos, o suspeito aparece novamente no vídeo correndo no sentido contrário.
Ao ver a filmagem, a mulher acabou confessando que estava conversando com seu ex-marido quando apareceu o atual amásio, identificado apenas como “Junior”. A mulher ainda contou que a pessoa de “Junior” começou uma discussão, sendo que logo em seguida sacou uma arma de fogo e disparou contra o Nilson.
Os PM’s foram até a casa da mulher e ao chegar no local encontraram a carreta Bi-trem que o atual marido trabalha, porém ele não foi localizado. Um dos filhos desta mulher confessou que emprestou a moto para o seu padrasto, mas, segundo ele, não sabia qual era sua verdadeira intenção.
Diante dos fatos, os PM’s conduziram mãe e filho para a delegacia de polícia e foram apresentando a autoridade policial para esclarecimentos.

CONFISSÃO
Mais tarde, já na Delegacia, o jovem de 22 anos, identificado como Eduardo Goulart Lima, resolveu colaborar com a polícia e confessou que participou no homicídio. Segundo o suspeito, seu padrasto chegou na casa e pediu para que ele o levasse até onde sua mãe estava, pois queria apenas conversar, pois o que ela estava fazendo não era certo. Ao chegar na esquina na Rua Clovis Arrais, ele parou a motocicleta e o padrasto foi ao encontro do casal.
Logo em seguida, ele ouviu os tiros e avistou seu padrasto correndo em direção da moto. Ao saber sobre o que tinha acontecido, Eduardo fugiu e se escondeu em sua casa. Já o padrasto saiu com a moto e não falou para onde iria, abandonando sua carreta na frente da residência.







Matéria: Comando 190

COMPARTILHE O VILHENA-HOJE 

Category:

0 comentários

CADA PESSOA SE RESPONSABILIZA PELO QUE FALA.