ENFERMEIRA DE RO MONITORA A SAÚDE DE MÃES E BEBÊS, EM CASA, HÁ 25 ANOS

Odair Araujo | segunda-feira, março 09, 2015 | 0 comentários

Profissional de Vilhena visita semanalmente casas de gestantes e mães. “Não sei o que farei quando me aposentar”, afirma Neide Ikino.
Mais de 25 anos ajudando a cuidar da saúde e bem estar das mulheres. Esta é a bagagem profissional da enfermeira Neide Ikino. Servidora de um posto de saúde em Vilhena, Neide visita, semanalmente, pacientes gestantes e também mulheres que, mesmo após o parto, acabaram desenvolvendo problemas de saúde. É o caso de Bruna Maia. Com apenas 24 anos, a jovem mãe de quatro filhos desenvolveu pressão alta na gestação.
Por causa da saúde frágil de Bruna, Neide Ikino a visita pelo menos uma vez por mês.  “A Neide me acompanha há três anos e esteve comigo em três gestações. É sempre bom receber a visita dela e ter esse carinho, pois é difícil para irmos ao posto. Quando preciso ela agenda consulta direto com o médico”, afirma Bruna. De acordo com a jovem, a relação com a enfermeira é tão importante que ela a considera da família.
Para Ikino, o trabalho de acompanhamento feito além da unidade de saúde é gratificante. Segundo a profissional, as visitas sempre são feitas a partir do momento que a gestante deixa de fazer o pré-natal.
“Quando ela some e não aparece mais no médico vou atrás para saber onde está e o que houve. Nestes mais de 20 anos já vi muitas histórias, como de jovens que não conseguiam ir fazer o pré-natal porque apanhavam em casa”, relembra.
Durante as visitas nas casas das gestantes e pós-gestantes, Neide procura aferir a pressão das pacientes e conversar para saber se as mulheres passaram mal no intervalo entre uma visita e outra. Preferindo não revelar a idade, a enfermeira diz que deve se aposentar em breve e por isso está pensativa. “Não sei o que farei depois, afinal sentirei muita falta dessa rotina. Em 2016 já terei que aposentar”, conta. Segundo a enfermeira, mesmo se afastando da rotina, ela diz que irá procurar algo relacionado para atuar.
A cada história triste que encontra na rotina diária, Neide se motiva ainda mais em ajudar as mulheres da comunidade de Vilhena. A profissional contou já ter perdido pacientes de forma trágica. “Uma vez a gestante deixou de comparecer no pré-natal e quando fomos atrás descobrimos que ela havia morrido”, relembra.
Os companheiros de trabalho da enfermeira, como a médica Camila Muniz, consideram "nobre" a atitude da profissional. “É ótimo trabalhar com ela. A Neide é uma enfermeira rigorosa e muito competente. Lindo esse trabalho dela acompanhar durante e após gestação”, exalta.
FonteG1

Category:

0 comentários

CADA PESSOA SE RESPONSABILIZA PELO QUE FALA.