Aciv disponibilizará cursos de Sped Social e Fiscal

Odair Araujo | quarta-feira, março 19, 2014 | 0 comentários


O Sped Social é escrituração digital da folha de pagamento e das obrigações trabalhistas; já o Fiscal consiste em um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras informações de interesse dos fiscos das unidades federadas e da Secretaria da Receita Federal do Brasil

ACIV, em parceria com a FACER e o ITDE agendou dois cursos para o mês de Abril, sendo o primeiro sobre o e-Social (Escrituração Fsical Digital das Obrigações Fiscal, Previdenciárias e Trabalhistas) no período de 09 a 11 e o segundo sobre SPED FISCAL (Escrituração Fiscal Digital de ICMS e IPI)

Considerando que atualmente mais de 90% da empresas tem sua escrituração fiscal e folha de pagamento terceirizadas para escritórios de contabilidade, o momento é propício para realização do Curso, tendo em vista o início da obrigatoriedade em Janeiro de 2014 e as previsíveis dificuldade dos contribuintes, principalmente das micros, pequenas e médias empresas para cumprirem a obrigatoriedade legal com segurança e precisão

O contribuinte continua acreditando que SPED é obrigação do escritório de contabilidade. Embora precisem trabalhar alinhados com seus Contadores, Empresários e Gestores devem assumir o controle e a responsabilidade pela organização de todas as rotinas internas nas suas empresas, em relação às informações para geração do SPED FISCAL e SPED SOCIAL. Eles são partes fundamentais nesse processo e podem evitar multas, seja por atraso na entrega do arquivo digital ou por informações incorretas e incompletas, por causa de falhas nas rotinas gerenciais e nos lançamentos fiscais.

ü Afinal, onde se dá a emissão da Nota ou Cupom Fiscal ?

ü Onde se processam as entradas e saídas?

ü Onde são elaborados os cadastros: Fornecedores, Cliente e principalmente de mercadorias?

ü Quem lida com a classificação fiscal de mercadorias?

A maioria dos arquivos de escrituração fiscal estão eivados de erros primários, tais como:

ü Inconformidades no comparativo de Alíquotas do IPI

ü Créditos do IPI por parte de não Contribuinte

ü NCM incorretas

ü NCM inválidas em NF de entradas, saídas e nas operações com CF

Inconformidades de CFOP X CST nas Operações com ST em NF e CF

Precisamos fazer o contribuinte compreender que as informações para SPED FISCAL são geradas no sistema da Empresas e não no escritório de Contabilidade. Daí a importância desse Programa de Treinamento que vai fornecer informações para que as Empresas possam executar as tarefa sob sua responsabilidade, com maior segurança e exatidão.

Vamos abordar com os participantes mostrar para eles porque os processos e as rotinas necessárias para gerar as informações requeridas pelo SPED, inclusive a o arquivo da EFD são obrigações do CONTRIBUINTE .

Mostrar que as empresas minimamente organizadas viviam ou ainda vivem em dois mundos: Para consumo próprio ou seja para sua gestão, usam sistemas informatizados, mas para atender o fisco obrigavam-se a geração da papelada, que nada mais é do que um espelho dos sistemas digitais.

Mas isso mudou com o advento do SPED, uma solução tecnológica que OFICIALIZOU os arquivos digitais da escrituração comercial, fiscal, contábil e social dos Sistemas Empresariais dentro de um formato digital e padronizado e tem a finalidade de unificar as atividades de recepção, validação, autenticação e armazenamento desses documentos fiscais, inclusive de organizações com imunidade ou isenção tributária, mediante fluxo único e computadorizado, das informações.

Ou seja, à partir da base de dados do seu sistema gerencial a Empresagera o arquivo da EFD e na sequência encaminha o arquivo da EFD para seu contador proceder a verificação antes de ser transmitido para o repositório nacional do SPED

O contribuinte precisa compreender que não adianta se preocupar com geração do EFD sem antes fazer o dever de casa, ou seja preparar a empresa para fazer as coisas corretamente através da organização de todos os controles e gerar as informações sob o enfoque do declarante, pois a geração do EFD não é uma função isolada. É consequência de todos os processos bem elaborados e as rotinas dentro dos padrões Sped. Exige uma série de pré-requisitos, sem os quais não tem como gerar o arquivo,

À partir daí, a geração da EFD propriamente dita, fica por conta do sistema e a entrega fora do prazo ou com informações inexatas, incompletas ou omitidas, gera pesadas multas.


Category:

0 comentários

CADA PESSOA SE RESPONSABILIZA PELO QUE FALA.