Mulher saudável passará por cirurgia para realizar seu sonho de ser paraplégica.

Odair Araujo | quarta-feira, setembro 25, 2013 | 0 comentários


A notícia é forte e certamente causará espanto em boa parte dos leitores.
  Chloe Jennings-White, de 58 anos, é uma americana de Salt Lake City, Utah, que sofre de um problema chamado Transtorno de Identidade de Integridade Corporal, uma doença que é pouquíssimo conhecida e faz com que seus portadores sintam um enorme desejo de amputar ou simplesmente paralisar partes de seu corpo.
  Ela não tem nenhum tipo de problema motor e sua coluna vertebral e medula são perfeitamente funcionais, mas ela usa uma cadeira de rodas e se comporta como paralítica e se sente feliz assim.
A primeira vez que eu me sentei em uma cadeira de rodas eu me senti tão bem. Eu me senti como se estivesse em um lugar onde eu pertenço”, disse em declaração chocante.
Alguma coisa na minha cabeça diz que minhas pernas não devem funcionar (...). Elas não têm nenhum sentimento em si. Eu sinto como se algo estivesse errado”, declarou.
O seu desejo em ser paraplégica é tão grande que dos 12 aos 16 anos ela quebrou seus ossos das pernas várias vezes, de propósito, tentando provocar alguma lesão que de fato a fizesse ficar na cadeira de rodas.
Além disso, ela pratica qualquer esporte que possibilite uma possível queda que a faça quebrar a coluna: “Faço esportes que me dão oportunidade de ser paraplégica. Isso me dá uma sensação de alívio, declarou a britânica em entrevista ao DailyMail.
Depois de várias tentativas sem sucesso, seu desejo se tornará realidade através de uma cirurgia. Depois de anos procurando, Chloe conseguiu um médico disposto a fazer tão absurdo.
A intervenção custará quase R$ 50.000 reais. O médico irá cortar o nervo ciático e femoral. Ela afirma não possuir o dinheiro para realizar a operação, mas não se arrependeria do procedimento.
Segundo a imprensa internacional, ela ainda procura um médico nos EUA que possa operá-la por um valor mais baixo.
Fonte: Metro 

Category:

0 comentários

CADA PESSOA SE RESPONSABILIZA PELO QUE FALA.