Governador assina termo de adesão para o enfrentamento do crack e outras drogas.

Odair Araujo | quinta-feira, agosto 08, 2013 |

Com o pacto assinado, iniciam-se as ações conjuntas para aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários de drogas.




O governador Confúcio Moura assinou, nesta terça-feira (06), no Ministério da Justiça, em Brasília, o termo de adesão ao programa do governo federal denominado - “Crack, é possível vencer” - com vistas à atuação integrada entre a União, estados, Distrito Federal e municípios em ações intersetorias de enfrentamento às drogas. 

Com o pacto assinado, iniciam-se as ações conjuntas para aumentar a oferta de tratamento de saúde e atenção aos usuários de drogas, ampliar as ferramentas para enfrentar as organizações criminosas, o tráfico nas fronteiras e nos locais de grande concentração de uso do crack, além de ampliar as atividades de prevenção. 

No termo assinado, o governador do estado se comprometeu a instituir um Comitê Gestor Estadual, cuja composição e modo de funcionamento serão objeto de regulamentação própria, com o objetivo de planejar, divulgar, implementar e monitorar as ações relacionadas ao Programa, em consonância com as diretrizes nacionais, e com definição de metas anuais para efetivação do compromisso ora assumido. 

Para o governador, o crack é uma realidade brasileira, tormentosa e difícil de ser combatida. “Se não for com a participação de quem já trabalha nela, que são as comunidades terapêuticas, principalmente as igrejas, fica muito difícil para o Estado”, ressaltou Confúcio. 

Investimentos 
O programa Crack, é Possível Vencer, prevê investimento no total de R$ 3,9 bilhões em recursos federais e conta com o apoio dos Ministérios da Justiça, Saúde, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Casa Civil, Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, estados, municípios além da participação da sociedade civil. 

De acordo com o governador, o crack é um problema de saúde pública grave e de segurança pública também. “É uma política que tem que ser enfrentada por todos, prefeitos, governadores, governo federal e as igrejas que já fazem esse trabalho gratuitamente há muitos anos”, disse. Confúcio Moura destacou a criação da Secretaria de Promoção da Paz em seu governo, que foi a segunda do gênero instituída no Brasil, justamente para essa finalidade.

Texto: Zózimo Macedo
Fonte: Assessoria Sibra
Decom

Category: