Cleptomania:

Odair Araujo | quarta-feira, fevereiro 27, 2013 | 0 comentários


Cleptomania: Doença ou Prazer em Furtar?

 
vitrineO objeto de desejo pode estar em uma bolsa, na vitrine de uma loja, em qualquer lugar. O desejo de possuir um objeto que não é seu pode esconder uma doença que atinge principalmente as mulheres, a cleptomania.
A cleptomania é um distúrbio bastante sério que está associado ao grupo de Transtornos no Controle dos Impulsos. O cleptomaníaco furta objetos geralmente de pequeno valor por puro prazer. Há uma perda completa do autocontrole, pois os impulsos falam mais alto.
cleptomaniaDe acordo com especialistas o cleptomaníaco não planeja a ação, mas também não quer ser pego, é por isso que eles escolhem lugares cheios de mercadorias e consumidores. Agora se no meio do caminho encontra um obstáculo como por exemplo um policial ou vigia, o cleptomaníaco não tem dúvida, consegue controlar o impulso, porém não desiste, apenas adia e alimenta mais a vontade de furtar. Depois do objeto de desejo furtado a sensação do cleptomaníaco é de alívio a tensão e prazer, mas também carrega consigo um imenso sentimento de culpa, vergonha, remorso. Com os itens roubados o cleptomaníaco pode desprezá-los, colecioná-los, doá-los, usá-los ou até mesmo devolve-los discretamente.
cleptomania2Normalmente o distúrbio da cleptomania acontece paralelamente com outros transtornos psicológicos como transtornos do humor, de ansiedade, alimentares e transtornos de personalidade. Essa analise tem levado alguns psiquiatras a discutirem se a cleptomania é verdadeiramente um transtorno psicológico ou uma manifestação de outras doenças. De forma geral, a cleptomania tem sido considerada como um tipo de transtorno de controle dos impulsos, como o vício em jogos de azar, piromania (comportamento repetitivo de atear fogo de forma proposital) e tricotilomania (mania de arrancar os cabelos). Transtorno de controle dos impulsos é quando a pessoa não consegue lutar contra ao impulso de algum comportamento, seja ele criminal ou não.
Segundo especialistas a cleptomania não tem cura, mas pode ser controlada. É de extrema importante que o cleptomaníaco faça terapia, para que possa aprender a identificar os motivos que o levam a furtar e aprenda a controlar seus impulsos, deixando o autocontrole falar mais alto. Hoje em dia, o modo de tratamento que tem alçando melhores resultados é a terapia cognitivo-comportamental. O fato do individuo não saber controlar seu comportamento e os meios que abrangem a ação de furtar (antes, durante e depois) causam sensação de ansiedade ou depressão, então, muitas vezes é imprescindível o uso de medicação.
Portanto, a cleptomania é um “mal” que perturba muitas pessoas e procurar tratamento é a melhor saída, pois ser julgado ou taxado por ladrão uma pessoa do bem é ferir a moral de qualquer ser humano.

Category:

0 comentários

CADA PESSOA SE RESPONSABILIZA PELO QUE FALA.